Edu de Barros

Nasceu em 1992 no Rio de Janeiro. Vive e trabalha no Rio de Janeiro.

Em sua obra, todo o corpo de trabalho (pinturas, ações, objetos, esculturas, filmes e escritas) faz parte de uma liturgia sagrada. Seu universo pictórico é construído com elementos de caráter profético, misturando linguagens e representações clássicas e contemporâneas. São sinais apocalípticos, elementos de insurgência cultural das favelas e do centro da cidade do Rio de Janeiro, conteúdo digital viral e ícones visuais descritivos da vida cotidiana em espaços-tempos suspensos e convulsivos. Os acontecimentos na política brasileira agregaram densidade social crítica a sua pesquisa sobre o sagrado, de maneira que o artista nomeia e representa, a seu modo, um apocalipse brasileiro, adicionando à pintura elementos da história e da política do país. O artista também atua como pregador e profeta na A noiva, a Igreja do Reino da Arte, entidade criada por artistas que acreditam no processo artístico como uma maneira de acessar o divino.
Edu é formado em design pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). É representado pela Sé galeria, por onde já participou de exposições coletivas. Antes da Sé, Edu organizou e integrou várias exposições independentes com outros jovens artistas. Na Sé, em 2020, apresentou a exposição individual CROPPED, com curadoria de Clarissa Diniz. A montagem dessa exposição, atravessada pela pandemia da covid-19, se estendeu em uma morada de três meses na Sé, durante a qual o artista expandiu sua pintura Afresco pelas superfícies da galeria.


***



Born in 1992 in Rio de Janeiro. Lives and works in Rio de Janeiro.

In Edu de Barros’ practice, his entire body of work (paintings, actions, objects, sculptures, films, and writings) is part of a sacred liturgy. His pictorial universe is built with elements of a prophetic essence, mixing classic and contemporary languages ​​and representations. Aspects like apocalyptic signs, elements of cultural insurgency in Rio de Janeiro’s favelas and inner city, viral digital content, and visual icons describing everyday life, all combined in multiple suspended and convulsive spacetimes. Recent events in Brazilian politics added a density of social criticism to his research on the sacred, as the artist names and conveys, in his own way, a Brazilian apocalypse, adding elements of the country's history and politics to his painting. The artist is also a preacher and prophet at The Bride, the Church of the Kingdom of Art, an organization created by artists who believe in the artistic process as a way of accessing the divine.
Edu de Barros has a degree in design from the Pontifical Catholic University of Rio de Janeiro (PUC-Rio). He is represented by the Sé gallery, through which he has participated in group exhibitions. Before Sé, he organized and integrated several independent exhibitions with other young artists. At Sé, in 2020, he presented the solo exhibition CROPPED curated by Clarissa Diniz. As this exhibition had to be assembled amid the covid-19 pandemic, it went on to become a 3-month stay at Sé gallery's facilities, during which the artist expanded his painting Afresco over the gallery's surfaces.