Pontogor

Pontogor, 1981, vive e trabalha em São Paulo.

Sua pesquisa tem foco em meios como: vídeo, fotografia, instalação, performance e música. Interessando-se pelo ruído e o desgaste nas imagens e sons, atento ao erro e ao acaso como ferramentas, o processo criativo se planifica desde o pensamento hermenêutico na procura de soluções sensoriais para plasmar problemáticas filosóficas sobre espaço e tempo.

Em 2007 ganhou o prêmio Prodem na bienal Siart em La Paz, Bolívia com a vídeo/instalação Pianos.

Participou de residências artísticas, como: Batiscafo, em Cuba; Air Antwerpen, na Bélgica; Urra, em Buenos Aires, entre outras.

Dentre as principais exposições em que participou, estão: Labirinto de Hermes, Pivô, São Paulo; Perdendo a Fé, na Aldeia Gentil, Rio de Janeiro; Rumos Artes Visuais, em São Paulo.
Pontogor colabora com a companhia de teatro Ueinzz.

 

***

Pontogor, 1981, lives and works in São Paulo.

His research focuses on media such as video, photography, installation, performance and music. Interested in noise and wear and tear in images and sounds, attentive to error and chance as tools, the creative process is planned from hermeneutical thinking in the search for sensory solutions to shape philosophical problems about space and time.

In 2007 he won the Prodem prize at the Siart Biennial in La Paz, Bolivia for the video/installation Pianos.

He participated in artistic residencies, such as Batiscafo, in Cuba; Air Antwerpen, Belgium; Urra, in Buenos Aires, among others.

Among the main exhibitions in which he participated, are: Labirinto de Hermes, Pivô, São Paulo; Losing Faith, in Aldeia Gentil, Rio de Janeiro; Rumos Artes Visuais, in São Paulo.
Pontogor collaborates with the theater company Ueinzz.